A dica de hoje é o compositor e intérprete argentino Pedro Aznar. Conhecido por essas bandas também por ter sido produtor dos excelentes álbuns Tambong e Longes, do Vitor Ramil, Aznar tem carreira musical sólida desde a década de 1970, quando integrou o magnífico grupo de rock argentino Serú Girán.

Pedro Aznar
Pedro Aznar

Mas o que me motivou a escrever sobre Aznar foi o lançamento de seu álbum duplo no ano de 2008, intitulado Quebrado, com um cd composto de músicas autorais e outro com versões de diversos artistas, como Sting e Rolling Stones.

Quebrado (2008)
Quebrado (2008)

Não bastasse as versões serem excelentes, o disco com canções próprias é definitivamente um dos melhores que já escutei. Além de ser um disco com melodias refinadas, as letras são especialmente incríveis. As músicas Quebrado, Décimas (em parceria com Elizabeth Morris), Joya tu corazón e Los perros del amanecer são os meus destaques do álbum, sem falar no ritmo muito interessante de Fugu e Lina de Luto e da instrumental Violinista.

Abaixo deixo dois vídeos do cantor, apresentando Quebrado e Décimas.

Outros álbuns excelentes de Pedro Aznar são Aznar canta Brasil (2005), Caja de música (2000) e Cuerpo y alma (1998).

No primeiro, interpretações de várias músicas brasilerias, desde Caetano até Cazuza (abaixo vídeo com a versão de Ideologia). No segundo, músicas sobre poemas de Jorge Luís Borges (o segundo vídeo abaixo é Caja de música, que no álbum os vocais são divididos com Mercedes Sosa) e no último canções de excelentes poetas latino-americanos, como a do uruguaio Eduardo Matteo, El tungue le, interpretadas por Adriana Deffenti em seu último álbum (ver o segundo post desse blog).

Saudações musicais!

Anúncios