Não é de hoje que as relações entre monopólios e cultura se mostram perniciosas. No entanto, com a disseminação maior (mas ainda longe do desejável) do acesso a internet as contradições entre propriedade e democratização da cultura parecem cada vez mais explícitas.

Um destes monopólios, o das gravadoras, está cada vez mais ameaçado pelo compartilhamento de músicas pela internet, que acontece de diversas formas. Uma delas é a criação, por diversas pessoas ao redor do mundo, de blogs que disponibilizam links de álbuns de música para download.

Não quero aqui analisar a complexidade do problema estrutural que enfrenta a indústria cultural e da influência da internet nesse processo, até porque não tenho cacife para isso, mas externar minha indignação em relação a certas atitudes que ocorrem nesse contexto que parece prenunciar os estertores destes “monopólios” na produção e distribuição da cultura.

Um deles é a atitude arbitrária de tirar do ar blogs que, mais do que apenas disponibilizar álbuns para download, trabalham no resgate, compilação e divulgação de raridades e/ou da diversidade da produção musical em diferentes lugares. No caso brasileiro, um dos mais conhecidos atualmente era o blog Um Que Tenha, mantido pelo “Fulano Sicrano”, e que saiu do ar exatamente hoje (20/08) após uma notificação mal formulada e inconsistente do Google e do Blogger, que exigia inclusive a retirada de comentários dos leitores nos quais não constavam nenhum link para download. Mesmo assim, o criador do blog promete que ele volta, como na entrevista cedida para um blog do Estadão (é só clicar AQUI e conferir).

O blog Um Que Tenha antes de sair do ar
O blog Um Que Tenha antes de sair do ar

Já o segundo desabafo de hoje relaciona-se com o monopólio da informação e da divulgação das manifestações artísticas. É impressionante a má qualidade dos principais meios de comunicação (impressos, virtuais, etc.) no que compete à divulgação dos espetáculos culturais. Aqui em Porto Alegre, como citei em outro post, saber do que acontece não é tarefa muito fácil para quem busca informações apenas nos veículos do Grupo RBS, por exemplo. E ontem tive mais uma ilustração disso que estou afirmando. Ao procurar mais informações sobre o show do Rolando Boldrin dia 2 de setembro no Teatro São Pedro, digitei o nome do artista no buscador do “Hagah” e qual minha surpresa quando o release que surge é de Renato Teixeira! Que, aliás, segundo o texto, nasceu em 2045 e é do signo de touro. Ou seja, só informações corretas e significativas! Para conferir clique AQUI.

Assim, para driblar esses desserviços à divulgação e democratização da cultura e amenizar a minha revolta do post de hoje, indico um ótimo endereço eletrônico para vocês leitores.

Trata-se da rádio web Buzina do Gasômetro, que congrega muitos artistas de Porto Alegre, contendo um pequeno texto sobre o perfil de cada um e com músicas disponíveis para audição e download. Além disso, a rádio web realiza programas com temáticas muito interessantes sobre a música da capital gaúcha. Acessem AQUI e confiram!

Para terminar essa confusão de idéias, o vídeo de uma música que vocês podem baixar lá no site da Buzina, Papagaio Pandorga de Gelson Oliveira, um clássico da infância de muitos gaúchos que assistiram o programa Pandorga da TVE.

Saudações musicais!

Anúncios