É com profunda tisteza que a minha primeira postagem deste ano refere-se ao falecimento da cantora Lhasa de Sela (1972-2010), que nos últimos tempos tem sido um dos pilares da minha audição musical, como prova o post que fiz para ela AQUI.

Afastado por dias da internet, já que estou fora de Porto Alegre, arrumei hoje um tempo para postar de uma lan house um texto sobre esse ano que se inicia, o que agora não faz mais sentido para mim depois desta horrível notícia.

Quando conferi hoje as visitas do blog, percebi algo muito estranho, já que nos últimos dois dias minha postagem sobre a Lhasa recebeu cerca de 600 visitas, algo fora do comum para os padrões do Música Esparsa. Foi então que descobri que desde 1º janeiro uma das minhas cantoras preferidas não está mais entre nós, tendo sido vítima de um cancro na mama, como divulgam as agências de notícia. Ou seja, uma péssima maneira de começar esse ano.

Lhasa lançou três discos fabulosos na minha opinião: La Llorona (1998), The Living Road (2003) e Lhasa (2009) e deixa um vazio imenso para quem admirava sua arte bela e original. Para mais informações da sua trajetória e uma prova de suas músicas, confiram minha postagem que linkei acima. Escrever mais que isso não posso, só me resta chorar mesmo no momento e ouvir ainda mais suas músicas.

Descanse em paz Lhasa!

Anúncios