Las cosas tienen vida propia,

todo es cuestión de despertarles el ánima.

(Cien años de soledad)

Boa parte das composições que integram o álbum homônimo de Rodrigo Nassif surgiram como se tivessem vida própria, enquanto o violonista lia o romance Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Marquez. Não é à toa, por isso, que ele nomeou duas delas como Balada de Los Buendia, fazendo referência ao nome da família cuja trajetória perpassa a obra-prima do escritor colombiano.

No entanto, o território do qual brotam as composições de Rodrigo não é tão imaginário quanto Macondo, mas é a nossa conhecida região platina e seus diversos e maravilhosos ritmos: tangos, milongas, chamamés, valsas, entre outros. Mesmo assim, com toda essa sonoridade que nos é familiar, Nassif surpreende ao mostrar sua visão sobre essa matéria regional.

Bacharel em violão clássico pela Universidade de Passo Fundo (UPF), com Posgrado na Argentina (Conservatório Luís Gianneo), junto ao excelente violonista Eduardo Isaac, Rodrigo venceu o Prêmio Açorianos de 2008 na categoria de melhor intérprete instrumental e combina o erudito e o popular com um viés rio-platense em temas muito bem elaborados e com interpretação marcante.

No seu álbum de estréia, lançado em 2008 pelo selo Café com Leite, Nassif apresenta 10 temas, todos compostos e arranjados por ele: Balada de Los Buendia 1, Balada de Los Buendia 2, Café sem açúcar, Tango de Aureliano, Inverno no Cassino, YMB, Valsa Hesitante, Milonga Borgeana, Arenito Riograndense e Bageense. Além do violão, algumas músicas são acompanhadas de percussão pelo próprio Rodrigo e pelo co-produtor Evandro Lazzarotto.

Um dos grandes méritos do álbum é que as composições do violonista soam muito naturais e concisas e, por isso, são dotadas de precisão e refinamento raros. Com influências que vão desde Heitor Villa-Lobos a Astor Piazzola, Rodrigo mostra criatividade e competência na elaboração e execução de seu “pop instrumental”, como já definiram alguns. Porém, antes de tudo isso, sua arte denota uma música instrumental de grande qualidade, que imprime seu valor universal a partir de suas influências regionais.

Confira abaixo a música Arenito Riograndense e conheçam as outras composições de Rodrigo Nassif no MySpace do violonista.

Saudações musicais!

Anúncios