Na primeira audição que fiz do álbum de estréia da cantora brasileira Ligiana, De Amor e Mar (2009), fiquei impressionado especialmente com uma das canções do repertório: a releitura feita da música Se (composição de Tom Zé registrada no álbum Estudando o Samba de 1976), na qual foi incluído um trecho do tango Malena (composto por Homero Manzi e Lucio Demare em 1942). Por causa dessa bela combinação entre samba e tango, fiquei fissurado por muito tempo apenas nessa música do álbum.

Mas o tempo foi passando e acabei seduzido pelo álbum inteiro, que transborda de canções fortes e delicadas ao mesmo tempo, uma ambiguidade que permeia as interpretações surpreendentes e convincentes de Ligiana, que começou a carreira como cantora barroca, estudou na Holanda, morou na Itália e na França e  doutorou-se em Musicologia.

A guinada do canto lírico para a música popular teve como um de seus resultados o lançamento deste álbum De Amor e Mar, produzido por Fernando Cavaco e Alfredo Bello e gravado em 5 estúdios entre Paris, São Paulo e Brasília. Fundamentalmente enraizado no samba, mas com certas influências jazzísticas, o disco apresenta diversas músicas garimpadas no vasto manancial do cancioneiro brasileiro, muitas delas quase desconhecidas.

Entre elas: Consideração (Cartola/Heitor dos Prazeres), Pandeiro do Brasil (Luiz Peixoto/José Maria de Abreu) e Conselheiro (Batatinha e Paulo César Pinheiro). Além destas, foram incluídas canções como Onda (composição da própria Ligiana), Festa no Olhar (Philippe Baden Powell/Rodrigo Alzuguir), Chorando Baixinho (Abel Ferreira/Celso Araújo), Só se não for brasileiro nessa hora (Morais Moreira, Luis Galvão), Queda por um samba (Ligiana/Celso Araújo), Canto do Caboclo Pedra Preta (Baden Powell/Vinícius de Moraes), a já referida Se (Tom Zé) e, finalizando de forma belíssima o álbum, Eu quero é botar meu bloco na rua, de Sérgio Sampaio.

Além da incrível voz de Ligiana, o álbum foi abrilhantado pelos instrumentistas Emiliano Castro (violão 7 cordas), Marcel Martins (cavaco), Alfredo Bello (contrabaixo) e Douglas Alonso (percussão). Isso sem falar nas excelentes participações especiais: Hamilton de Holanda, Philippe Baden Powell, Marcelo Pretto e Tom Zé.

Para uma prova desse disco imperdível, abaixo vocês podem conferir as canções Conselheiro, Onda e Eu quero é botar meu bloco na rua, além de visitar o MySpace de Ligiana e ler uma ótima entrevista com ela aqui.

Saudações musicais!

Anúncios