O músico paulista Kiko Dinucci lançou em 2009 o ótimo álbum Na Boca dos Outros, com canções de sua autoria interpretadas por excelentes artistas como Fabiana Cozza, Maurício Pereira, Alessandra Leão, entre outros.

Mas o objeto do meu comentário de hoje é o ótimo álbum Padê (2008), parceria de Dinucci com a excelente intérprete Juçara Marçal (que também participou do disco citado acima), sendo este seu primeiro álbum como cantora solista.

Logo depois de escutar esse álbum pensei que, do que já escutei na vida, foi o melhor conjunto de canções influenciado pela musicalidade afro-brasileira que ouvi depois dos famosos Afro-sambas de Baden Powell e Vinicius de Moraes (tanto os originais quanto as belíssimas versões de Monica Salmaso e Paulo Bellinati).

Sambas, lundus, jongos e batuques construíram um álbum imponente, de composições primorosas e arranjos encantadores. Músicas como Machado de Xangô, Mar de Lágrimas e Engasga Gato são três dos 14 temas do disco que comprovam as palavras que acabo de escrever. A atmosfera formada por estas canções de Padê nos remontam a uma cultura (e musicalidade) “atlântica” forjada nestes séculos de trocas culturais (nem sempre pacíficas) entre o Brasil e a África.

Deixo registrado, portanto, meu estímulo para que escutem esse álbum e os outros trabalhos de Kiko Dinucci, além de torcer para que Juçara Marçal incremente o mais rápido possível sua discografia, brindando-nos com sua belíssima voz.

Fiquem abaixo com os vídeos de uma entrevista da dupla  e aproveitem para visitar o MySpace de Kiko Dinucci e Juçara Marçal.

Saudações musicais!

Anúncios