No último dia da 27ª Feira do Livro, a população cachoeirense teve a oportunidade de ampliar seus horizontes e sua sensibilidade musical com a impecável apresentação da banda Realidade Paralela, formada por Marcelo Corsetti (guitarra), Angelo Primon (violão, viola caipira e sitar), Luke Faro (percussão) e Vanessa Longoni (voz).

Formado na feira do livro de Porto Alegre em 2008, o quarteto combina competência técnica e sensibilidade criativa com uma atmosfera sonora especial e um repertório diversificado e de grande qualidade. Corsetti e Faro são figuras de extrema importância no cenário da musica instrumental gaúcha e brasileira, principalmente a partir do grupo Xquinas. Angelo, versátil instrumentista, foi premiado já com seu álbum de estreia instrumental, Mosaico, assim como Vanessa Longoni com A Mulher de Oslo.

No setlist do show, além das canções do álbum homônimo lançado em 2009, como Luz da Nobreza, Atirador, Gírias do Norte e a sensacional Arrastão, entre outras, o grupo apresentou ótimas releituras de canções de Queyi (Lorca), Ana Prada (Me quiere sonar) e Marcelo Delacroix (Alameda das Palmeiras), além do tema Pedro, em homenagem ao dia das crianças e parte do repertório do disco infantil que será lançado em breve.

Eu que acompanhei a trajetória da banda desde o início, e que me impus a obrigação subjetiva de divulgar aos quatro ventos a arte desses músicos, fiquei extremamente feliz em poder intermediar a vinda deles para minha cidade natal, que conheceu o excelente trabalho e a sinergia entre os instrumentistas Corsetti, Faro e Primon e conferiu a espetacular performance e a voz maravilhosa da Vanessa Longoni. Não foi à toa que a recepção do público presente foi calorosa após a apresentação, surpreendendo-se com o “desconhecido” na música que tantas vezes as pessoas evitam e não têm interesse em prestigiar.

Não há como deixar de dizer também que foi uma apresentação marcante no cenário musical da cidade que há tempos não acolhia uma atração musical da cena independente com tanta qualidade. O “mais do mesmo” que costuma se ver por aqui com as atrações da “música de entretenimento” sofreu um grande revés ontem com o sopro (na verdade um furacão) de criatividade e competência musical que passou pela Feira do Livro. É certo que quem compareceu na apresentação do Realidade Paralela em Cachoeira, nunca mais vai ouvir música do mesmo jeito.

Saudações musicais!

Anúncios