Fico muito feliz quando as “músicas esparsas” que comento aqui no blog acabam se encontrando de alguma forma e até mesmo elaborando criações  artísticas em comum. Esse é o caso do projeto Meridiano 50, formado por Arthur Nogueira e Gisele de Santi, que está buscando financiamento coletivo através do Catarse e que procura integrar, sob a metáfora geográfica do meridiano comum ao Pará e ao Rio Grande do Sul, as diferentes expressões criativas destes artistas.

Previsto para acontecer (em uma primeira edição) no Teatro Oficina em São Paulo, no dia 19 de abril, esse projeto tem como base uma interação artística bastante valiosa, que tenta buscar, a partir das diferenças culturais, pontos em comum (ou nem tanto) passíveis de construir experimentações criativas focadas na diversidade e na produção em parceria de possíveis sínteses. Assim, o Meridiano 50 pode ser um experimento de referência para uma parte do cenário musical brasileiro que aposta mais no isolamento do que na profícua interação de sensibilidades e de processos criativos.

Confira abaixo o release do projeto e uma música de cada artista. Além disso, não deixem de contribuir com a iniciativa (para quem não pode comparecer no show também há ótimas opções!), acessando a página do Meridiano 50 no Catarse por AQUI.

Saudações musicais!

Meridiano 50

No Brasil, riquezas são diferenças. A fecundação recíproca de diversas culturas moldou a nossa identidade artística. Vários momentos da história musical do país apostaram nesses extremos. E agora, chegou a vez do “Meridiano 50”.

Na geografia, o meridiano é um círculo de longitude, uma linha que cruza Norte e Sul. No Brasil, especificamente, o Meridiano 50 é um traço comum entre o Pará e o Rio Grande do Sul. Marca que agora passa a representar a união, no palco, de Arthur Nogueira e Gisele De Santi. Oriundos dos dois extremos do país, os artistas decidiram se encontrar no meio do caminho: São Paulo.

Aos 23 anos, Arthur Nogueira desenvolve trabalho baseado em experimentações com poesia e música. Possui dois álbuns lançados, “Arthur Nogueira” (2007) e “Mundano” (2009), e um EP virtual, “Mundano+” (2010). Tem canções com Antonio Cicero, Omar Salomão, Dand M e outros poetas.

Aos 26 anos, formada em Música, Gisele De Santi gravou em 2010 o primeiro CD da carreira, “Gisele De Santi”, que lhe rendeu o Prêmio Açorianos – o mais importante da música do Sul – nas categorias “Intérprete” e “Revelação”. Trata-se de uma autora que passeia por diversos estilos, desde os ritmos característicos de sua região, ao samba, o jazz e o blues.

No show, a dupla pretende dialogar com as próprias diferenças e expor os desejos comuns. Para brindar a união, “Meridiano 50” conta com a participação de Péricles Cavalcanti. O cantor e compositor, ídolo de Arthur e Gisele, estava presente na noite em que eles se conheceram, em São Paulo.

Da milonga ao carimbó, com gosto de jambu e chimarrão, “Meridiano 50” tem início em São Paulo, no Teatro Oficina, e pretende, num futuro próximo, chegar a Belém e Porto Alegre. Tudo para provar que, no Brasil, afinidade tem a ver com diversidade.

SERVIÇO
Meridiano 50 – Arthur Nogueira & Gisele De Santi
Participação especial: Péricles Cavalcanti
19 de Abril de 2012 – às 21h – Teatro Oficina (SP)
Informações: meridiano50@gmail.com

Anúncios