Se o Rock morreu, como afirmam os diagnósticos mais catastróficos, o que estou ouvindo há alguns dias são as correntes arrastadas por um fantasma (muito vivo, por sinal!). O EP de estreia da banda uruguaya Luzmala prendeu minha audição como há meses nenhum lançamento “rockeiro” conseguiu. Composto de 7 músicas de letras rápidas e incisivas e de sonoridade empolgante, essa é uma dica incontornável para quem aprecia “rock das antigas” e poesia underground.

Matias Singer: guitarra e voz; Gonzalo Petersen: guitarra e coros; Zelmar Borrás: guitarra e coros; Rodrigo Gils: baixo e coros; Matias Guerreros: bateria; Nacho Echevarría (piano e percussão em Espiral) formam o time da orquesta rockeira que concedeu uma entrevista especial para a seção Conversa Esparsa, que retorna cerca de 7 meses após a última edição (com a cantora portuguesa Luisa Sobral).

Na entrevista abaixo, o guitarrista Zelmar Borrás, da banda uruguaia Luzmala, que esse ano lançou seu primeiro registro discográfico, comenta sobre a trajetória do grupo, a cena rock uruguaia e as referências das canções do EP. Confiram, portanto, essa nova Conversa Esparsa e escutem, no final da postagem, a música Tenemos refugio.

Saudações musicais!

1) Como os integrantes da orquesta Luzmala se conheceram e decidiram começar uma parceria?

Os três guitarristas de Luzmala (Gonzalo, Matías e Zelmar) tocavam em uma banda chamada Culpables. Quando essa banda se separou, em seguida pensamos fazer uma nova banda para tocar rock n roll clássico e “obscuro”.

Meio que naturalmente agregou-se o Rodrigo (baixo), a quem conhecíamos há tempos da cena do rock under de Montevideo (Vellocets) e Matías (bateria) com quem faz anos compartilhamos nossa sala de ensaios, El templo. El templo é uma sala de ensaio que montamos entre umas poucas bandas e é somente para nós e nossos amigos. É onde nos encontramos todas as semanas.

2) Qual a trajetória da banda até agora?

Somos uma banda bastante nova, começamos em meados de 2010 e recém debutamos no ano passado. Desde então tocamos várias vezes em Montevideo e também cruzamos a Argentina um par de vezes. No final do ano passado entramos nos estúdios Sondor para gravar nossos primeiros temas, resultando disso um minidisco de 7 temas que se pode baixar, gratuitamente AQUI.

3) Conhecem algo da música brasileira? Se sim, o que dela vocês mais apreciam? Existe alguma previsão de show para o Brasil?

Existem vários músicos que gostamos do Brasil: Sepultura, Ratos de Porão, Chico Buarque, Caetano Veloso, Os Mutantes, Dorival Caymmi. Culpables foi editado no Brasil através do selo Laja Records e por isso também conhecemos outras bandas muito boas como Merda, Os Pedreros e Leptospirose, com as quais tocamos em Montevideo. Nos encantaria ir tocar aí, assim que os promotores de evento se interessem e pensem que podem ganhar muita grana nos levando para tocar.

4) Que avaliação vocês fazem da cena rock uruguaia? Quais são as forças que aproximam ou distanciam o gênero do processo de “aburguesamento” que ele sofreu nos últimos tempos?

A cena uruguaia nos parece ser bem diferente daquela do Brasil, ou mesmo da Argentina. A população é de somente 3 milhões de pessoas e mais da metade está em Montevideo. Essa característica impõe dificuldades para as bandas tocarem fora da capital e, portanto, não podem se apresentar muito seguidamente na capital para não aborrecer o escasso público montevideano. Aqui é muito parecido com um povoado. Outra dificuldade é que quase não há espaços onde se possa tocar música elétrica.

Além disso, artisticamente há uma inquietude por parte de muitas bandas. Talvez por ser um meio difícil e não ser economicamente rentável, as bandas se veem obrigadas a trabalhar mais e fazer uma busca musical mais autoral e específica, ao invés de criar bandas de gênero como acontece em outros lugares.

5) Comentem sobre algumas inspirações artísticas importantes para as letras das canções do EP.

A inspiração principal é toda a parte negativa da condição humana. Isso pode parecer muito pessimista, porém, a filosofia subjacente é transformar algo mal em algo bom.

6) Quais outros grupos do rock independente uruguaioi vocês indicariam para o ouvinte brasileiro?

Oro, Revolver, Hablan por la Espalda, Santacruz, Señor Faraón, Ufesas, Buenos Muchachos, Hotel Paradise. Todas essas bandas são muito boas e com estilos muito pessoais.

7) Deixem um recado para os leitores do Música Esparsa.

Bom, oxalá possamos viajar em algum momento para o Brasil e mostrar pessoalmente nossa música. Muito obrigado pelo interesse por nosso trabalho!

Tenemos refugio

El humo de ese cigarro
Como los recuerdos que tenes
Se van disipando
Y tosiendo los ves no volver
Voy a encontrar a mis leyendas
En las cicatrices de tu piel
Como un ciego tocandote leer
Que entre nosotros hay refugio

Anúncios