Em 2007, com a saída de três integrantes do Madredeus, entre eles a sensacional vocalista Teresa Salgueiro, parecia que o nome do grupo não iria mais estampar a capa de lançamentos discográficos a partir de então.

Os músicos remanescentes, Carlos Maria Trindade e Pedro Ayres Magalhães, ao lado de outros instrumentistas e intérpretes, fizeram nos anos seguintes três novos discos com o ensemble intitulado Banda Cósmica: Metafonia (2008), Nova Aurora (2009) e Castelos na Areia (2010).

713552_1_f

No entanto, ano passado, o nome Madredeus voltou a figurar nas prateleiras de lançamentos da música contemporânea portuguesa,com o disco Essência. Composto por 13 faixas, o repertório reúne canções de diversos momentos da trajetória do grupo, mas com novos arranjos e também novos integrantes: no violoncelo Luis Clode, nos violinos Jorge Varrecoso e Antônio Figueiredo e na voz Beatriz Nunes.

Desde então, entre os admiradores do grupo, pelo menos duas avaliações são recorrentes: uma mais crítica, que considera um disparate e uma profanação a substituição de Teresa Salgueiro e outra (na qual vejo mais fundamento), que reconhece e admira o talento da nova intérprete e fica contente que os Madredeus continuem sua história, assim como fizeram Teresa e Rodrigo Leão quando deixaram o grupo com seus ótimos trabalhos.

No vídeo abaixo dá para conferir a música Amanhã, na interpretação de Beatriz. E aí, o que me dizem?

Saudações musicais!

Anúncios