Há dois ou três anos atrás entrei em contato com o disco Las lineas de tu mano, lançado em 2009 pelo grupo argentino Bardos Cadeneros. Quem me deu a dica certeira foi meu amigo Chico Cougo, do Memórias do Chico.

Naquela ocasião, andávamos às voltas com a cena tanguera mais recente, em especial aquela independente e/ou autoral de Buenos Aires, e a audição dos Bardos (ao lado de La Chicana, 34 Puñaladas, Karina Beorlegui, entre outros) preenchiam nossos ouvidos ávidos por tangos, milongas e sonoridades criollas.

"El viejo guitarrista" (Pablo Picasso, 1903)
“El viejo guitarrista” (Pablo Picasso, 1903)

Recordo-me especialmente de um dia em que Chico comentou seu apreço especial pela Milonga  del guitarrero, do repertório de Las lineas de tu mano. Foi numa das inúmeras oportunidades nas quais trocávamos descobertas musicais (com direito a pen drives “infectados”) e, ao escutar a canção, realmente concordei com a avaliação generosa e impressionada de meu amigo.

Desde que saí de Porto Alegre no início de 2010, aqueles encontros musicais tornaram-se raros, mas a lembrança dos mesmos é sempre uma grande alegria e trazem a certeza que outros inúmeros virão. Nossa admiração compartilhada pelo tango e pelo lunfardo está longe de arrefecer.

Para celebrar esses recuerdos e também o aniversário dessa grande figura (amigo imprescindível, historiador competente e blogueiro “faca na bota”) que é o senhor Chico Cougo, disponibilizo abaixo a incrível Milonga del guitarrero, canção de Hernán Lucero para ser escutada e degustada com muita atenção.

Saudações musicais!

Que no se callen las violas
Que sigan rasgando tangos,
Cantan los fieles del fango
Que beben sin olvidar.

Anúncios