É impressionante como a intérprete portuguesa Cristina Branco consegue aliar uma produção discográfica intensa com uma incrível qualidade artística. Apenas dois anos depois de Não há só tangos em Paris, o novo álbum da cantora, intitulado Alegria, já está circulando em turnê europeia com suas belíssimas canções.

cristinabrancoalegria

Segundo o release oficial da artista: “Neste novo disco, Cristina Branco quis vestir a pele de doze personagens, ajustando o seu ser individual ao social, usando a música como escudo e como arma, celebrando o heroísmo que existe no anonimato, procurando respostas para os tempos conturbados que cruzamos. Alegria é um retrato, com tanto de cru como de irônico e sensível, do homem e da mulher de todos os dias, do café, do fim da rua, do virar da esquina, de qualquer parte do país ou largado no mundo – os vizinhos do lado, os que moram mesmo dentro da nossa casa, os que habitam o nosso pensamento. Somos nós; doze personagens onde nos podemos rever continuamente.”

Não pensem, caros leitores, que as palavras acima exageram a qualidade poética das letras das músicas do disco, pois são realmente histórias de grande inspiração que formam o repertório das 13 faixas de Alegria. Entre os compositores das mesmas, encontramos um grupo heterogêneo e muitíssimo qualificado, que vai de Joni Mitchell e Chico Buarque até Jorge Palma, Miguel Farias e Mário Laginha.

Para uma apreciação prévia do disco, disponibilizo abaixo a música O cidadão de frente para a cidade, um “fado bizarro” composto por Manuela de Freitas e Acácio Gomes dos Santos. Apreciem a interpretação impecável de Cristina e de sua banda, formada por Bernardo Couto (guitarra portuguesa) Bernardo Moreira (contrabaixo) e Carlos Manuel Proença (viola), bem como o lirismo dos passos e das convicções deste cidadão anônimo que a canção nos apresenta.

Saudações musicais!

Anúncios