O cantor e compositor Arthur Nogueira, sobre o qual escrevemos aqui em duas oportunidades [confiram a entrevista com o cantor e algumas palavras sobre Entremargens] acaba de lançar virtualmente seu álbum Sem Medo Nem Esperança (2015), que comprova ao mesmo tempo a continuidade e o desdobramento em outros caminhos da beleza musical e poética que acompanha o artista em suas composições.

ArthurcapaSemMedoNemEsperança_ArthurNogueira

As 10 faixas, produzidas e mixadas por Arthur Kunz (que contribui com ótimas levadas eletrônicas em diversos temas), são todas de Arthur Nogueira e, em sua maioria, compostas em parcerias infalíveis com Antonio Cícero – como é o caso de Truques, Simbiose e da faixa-título, lançada este ano por Gal Costa no seu álbum Estratosférica – e também com Marina Wisnik, Marcelo Segreto, Letícia Novaes, Michael Sleiman, Adonis e Omar Salomão.

De tanto escutar o repertório nos últimos dias e pensar em palavras mais adequadas para comentá-lo aqui, acabou que apenas o mais simples tornou-se realmente a maneira mais refinada de vocês apreciarem este belíssimo disco de Arthur, isto é, lendo, ouvindo e imaginando a partir de palavras e sons estas fantásticas canções.

Abaixo, sugiro então a leitura/audição de Sem Medo Nem Esperança (parceria com Antonio Cícero) e Vaga (parceria com Marina Wisnik), que contam ainda com Leó Chermont e Marcelo Segreto em ótimas performances na guitarra e no violão. As duas combinam letras e músicas que desde já são imprescindíveis para a música brasileira contemporânea e as quais vocês podem ter acesso, junto com o restante do repertório AQUI.

Saudações musicais!

Sem Medo Nem Esperança
(Arthur Nogueira / Antonio Cicero)

não sou mais tola não mais me queixo
não tenho medo nem esperança
nada do que fiz
por mais feliz
está à altura do que há
por fazer

e se me entrego às imagens do espelho sob o céu
não pense que me apaixonei por mim
bom é ver-se assim
de fora de si:

eu viveria tantas mortes
e morreria tantas vidas
e nunca mais me queixaria
nunca mais

Para Gal Costa

Vaga
(Marina Wisnik / Arthur Nogueira)

alto sobre o azul
ele vence a vaga só
cheio de si
rei do mar
abre os braços contra o sol
livre para o prazer
leve em seu voo veloz
alheio a nós
suspenso
não pode mais voltar atrás
nem mais nem menos
ser e nada
ladrão do ouro da manhã
sem mais menos
o céu rasga

Para Luís Miguel Nava

Anúncios