Desde que vim morar em Santa Catarina, ainda não havia escrito neste espaço sobre artistas que atuam a partir do cenário deste estado e, após um ano e meio de reconhecimento deste novo lugar musical que começo a explorar, chegou a hora de comentar sobre dois dos artistas que mais me chamaram atenção nos últimos tempos: Tatiana Cobbett e Marcoliva.

Créditos: Bia Boleman
Créditos: Bia Boleman

Conheci esta parceria artística, que neste ano completa 15 anos, no evento Inconsciente Coletivo, em Joinville e, mais tarde, no Bar do Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul, capitaneado pelo sempre atento provocador cultural César Santos.

Ao presenciar pela primeira vez a performance de Tatiana e Marcoliva, voltei a sentir aquela emoção das descobertas musicais que motivaram o surgimento do Música Esparsa há mais de seis anos atrás. A incrível combinação de belos arranjos, letras criativas e uma performance cênica notável e ao mesmo tempo orgânica ao espetáculo, fizeram as primeiras composições que ouvi da dupla extrapolarem a condição de uma música de repertório para serem criações artísticas multifacetadas e com vida própria e irredutível a rótulos e interpretações que não levem em conta a fusão criativa da poesia, do som e da interpretação cênica promovida pelos artistas.

No entanto, como eles mesmos fazem questão de deixar evidente, a trajetória da dupla é marcada pela colaboração de inúmeros parceiros que agregaram imensa qualidade às performances ao vivo, às composições e aos discos, como Badi Assad, Guinha Ramires, Alegre Corrêa, Jean Garfunkel, entre outros. Ou seja, a beleza da arte de Tatiana e Marcoliva também é oriunda das trocas culturais e artísticas que estão sempre além da dimensão individual e das formações específicas no palco.

Com quatro álbuns já lançados, Parceiros (2000), Bendita Companhia (2007), Música Súbita (2010) e Corte Costura (2013), Tatiana e Marcoliva estão agora convidando a todos para se juntarem ao time de colaboradores desta incrível trajetória, via financiamento coletivo no Catarse, para a produção do quinto disco, intitulado Sawabona Shikoba.

Desse modo, convido a todos para conferirem mais sobre o projeto ao acessar o link AQUI e, se alguém precisar de mais uma motivação para colaborar com esta “sonora parceria”, é só escutar abaixo a excelente música Fado, do álbum Corte Costura (2013) e se deleitar.

Saudações musicais!

Anúncios