por Chico Cougo

No primeiro post da seção “Platinidades” falei do Carnaval uruguaio, um dos mais animados do mundo. Disse que voltaria ao tema e cá estou, hoje para apresentar a incrível agrupação murguera Metele que son Pasteles, vencedora do concurso Inaugural de 2017. Los Pasteles é uma das murgas mais jovens do carnaval oriental, mas vem ganhando destaque nos últimos anos – principalmente pelos temas de suas apresentações.

Em 2017, a murga apresentou Todos podemos tener un shopping, espetáculo dedicado a refletir sobre a estrutura de classes sociais e, principalmente, sobre o olhar de “exotismo” que a classe média dispensa aos pobres. Metele que son Pasteles, que ensaia no Club Rentistas, no bairro Cerrito de la Victoria (centro-norte de Montevidéu), levou o Teatro de Verão à loucura com seus temas ferinos em relação aos hábitos e costumes das classes médias. Entre cuplés como Curiosidad por la pobreza e Desigualdad-Desigualdisney, até o Brasil entrou na história. O país aparece em La Nueva Derecha, uma incrível “análise” sobre os avanços da direita na América Latina (confira o vídeo abaixo). Em dado momento, Los Pasteles cantam:

A Dilma sacamos cagando,
Brasil ahora está divino.
Pocos paises nos están faltando
para tener a todos los latinos…

O disco com os dez temas vencedores de 2017 já está no Spotify e vale a pena ouvi-lo. Pelo visto, Metele que son Pasteles – cujo nome deriva de uma frase argentina que significa mais ou menos “aproveite tudo o que puder e rápido” – terá vida longeva no Carnaval do Uruguai. Se seguirem tratando de temas políticos e sociais, mais ainda.

Confira, a seguir, o trecho com La Nueva Derecha e também a apresentação completa da murga em 2017. A agrupação está no Facebook, através desta página.

iSalute!

Anúncios